A rota da Ribeira dos Arcos é um passeio pelo património cultural e natural da região e forma circular à volta da aldeia da Aveleira e de dois núcleos de Moinhos de vento. E, de forma linear, num caminho pelas margens da ribeira dos Arcos. É um percurso que se pode fazer em ambos sentidos.

O trilho pauta por caminhos estreitos onde se encontram antigas Azenhas e cascatas que formam pequenos, mas bonitos lagos.

A história da Ribeira dos Arcos está intimamente ligada à morfologia do território e à história da ocupação humana nesta região, e que levou ao aproveitamento do potencial eólico das cumeadas da Serra da Aveleira através dos moinhos de vento e ao potencial hidráulico da ribeira, através das azenhas. – Moinhos de vento – e potencial hidráulico da ribeira – Azenhas.

Estes engenhos foram outrora essenciais na moagem dos cereais que dali saiam transportados em mulas ao longo das margens da ribeira até à Foz do Caneiro, onde a ribeira desagua no rio Mondego, e dali seguia para Coimbra.

NOTA: É um percurso de pode ser feito de forma linear ou circular. Neste caso, aconselha-se a realização no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio. É exigente em termos físicos devido aos 13 km de extensão e ao elevado desnível acumulado (875 metros).

Fonte e Fotografias: Câmara Municipal de Penacova

 

ROTA

Início e fim: Foz do Caneiro.

Coordenadas: 40.236183, -8.322815

Épocas aconselhadas: Todo ano.

 

DOCUMENTAÇÃO

Folheto informativo: aqui.

 

CONTACTOS ÚTEIS

Posto de Turismo de Penacova: 239 470 300

GNR (Penacova):239 470 160

Bombeiros Voluntários de Penacova: 239 477 469

13Km Distância
Circular Tipo
5h Duração
49 Alt. Mínima
526 Alt. Máxima
Difícil Dificuldade

 

NOTA Os caminhos dos percursos e a sinalética dos mesmos estão sujeitos ao desgaste provocado por vários fatores. Por prudência, a iNature recomenda o contacto com as entidades responsáveis pelos percursos para apurar o estado de conservação dos caminhos e da sinalética. Uma caminhada agradável começa na segurança da mesma.