A 10 de julho de 2020, a Serra da Estrela foi formalmente reconhecida como Geoparque Mundial da UNESCO pelo Conselho Executivo desse organismo, depois da aprovação em setembro de 2019 desta candidatura, entregue em 2017.

Com uma área de 2.216 km2 e uma população com cerca de 150 mil habitantes, o Estrela Geopark engloba nove municípios (Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Oliveira do Hospital e Seia), onde estão identificados mais de 124 locais de interesse geológico.

A sua paisagem é caracterizada pela diversidade, que decorre das múltiplas transformações geológicas, climáticas e humanas que sofreu ao longo dos tempos, conferindo-lhe um valioso património natural e sociocultural.

Para a Associação Geopark Estrela esta classificação é o "culminar de um longo processo de valorização, conservação e promoção do património da Estrela e dos 9 municípios que integram este novo Geopark Mundial da UNESCO, reconhecendo o valor intrínseco da sua geologia e da estratégia de desenvolvimento territorial implementada pela Associação", bem como o reconhecimento internacional para a montanha maior de Portugal Continental, colocando-a, assim, no mapa mundial.

A classificação vem renovar a confiança no trabalho em desenvolvimento nas áreas da ciência, educação, geoconservação, turismo, sustentabilidade e comunicação do território e comunidades locais, configurando-se como uma estratégia de desenvolvimento sustentável da Serra da Estrela.