A Serra da Lousã, sítio da Rede Natura 2000, corresponde à extremidade sudoeste da Cordilheira Central, sistema montanhoso composto também pela Serra da Estrela e pela Serra do Açor. Esta destaca-se pelo relevo acidentado e cristas quartzíticas de valor significativo. 

A sua localização provoca um contraste de relevos, onde a Norte se encontram declives acentuados, com encostas íngremes e vales encaixados, e a Sul, mais suaves, pela influência atlântica e mediterrânea. Em conjunto com as variações climáticas, a vegetação é, também, diversificada, encontrando, por isso, azinheiras (Quercus ilex), mas também carvalho-roble (Quercus robur) e carvalho-negral (Quercus pyrenaica).

 

 

A Serra da Lousã é atravessada por um conjunto de linhas de água das bacias hidrográficas dos rios Zêzere e Mondego, elemento importante para a fauna e flora desta área. Destaca-se assim na imensa área florestal, uma vegetação ripícola, como os amiais (Alnus glutinosa), que acompanha os cursos de água, onde se encontram também azereiros (Prunus lusitanica) e, merecendo especial atenção, o azevinho. Para além disso, é um local de grande importância para a conservação do lagarto-de-água (Lacerta scheriberi) e para a salamandra-lusitânica (Chioglossa lusitanica).

 

Galeria Fotográfica